Ir direto para o conteúdo

Viajando para os EUA, por Paula Tanaka Camara (e Milo)

A Paula, que é chef e dona dos ótimos blogs Cozinhando Sempre e o 50th e 8th (sobre NYC) adora viajar e já teve várias experiências de viagens com o cachorrinho dela, o Milo (na foto abaixo). Ela nos escreveu contando como foram essas experiências. Obrigada por compartilhar com a gente, Paula!

“Vamos lá: sei bem como é essa aflição pré-embarque de cachorros. As informações são muito ruins e desencontradas, mas os procedimentos não são tão complicados.

Brasil -> EUA

1. No máximo 8 dias antes da viagem, passe por um veterinário para pegar um atestado de saúde. O meu vet foi recomendado por um cara que levava e trazia cachorros EUA-Brasil, então ele já tinha um formulário pronto e sabia tudo que precisavam, mas basicamente precisa de espécie, data de nascimento, nome, e escrito que ele não tem doenças parasitárias, não tem miíases, está apto a viajar e recebeu a vacina no dia XX.

2. Leve o atestado de vacina (ou carteirinha) + atestado do veterinário para o terminal de Cargas do Aeroporto de Guarulhos, no Setor Ministério da Agricultura – Serviço de Sanidade Animal. Se você não é de São Paulo, procure o mesmo posto no aeroporto mais próximo, pelo site. Dá uma olhada em www.agricultura.com.br -> vigilância agropecuária -> orientações para viajar com seu animal. Não precisa levar o cachorro! Só basta o documento de um veterinário brasileiro atestando a saúde do animal e o comprovante de vacina. Esse atestado do veterinário pode ser feito no máximo 3 dias antes da ida ao Ministerio da Agricultura. La é só preencher uns documentos e pronto, sai tudo na hora.

3. Tenha todos os atestados de vacina e etc em mãos sempre.

4. Você sempre tem passar na fila do “coisas a declarar” e preencher as fichas tanto no Brasil como nos EUA que você tem um animal. Geralmente só olham as fichas e pronto. Uma vez me perguntaram se eu tinha ração, mas eu não tinha nada, só uns biscoitos pra ele e ninguém encrencou.

5. Para ele voar: O vet do Milo recomenda parar a comida na noite da véspera e água algumas horas antes. Dizem que não pode andar com o cachorro fora da sacolinha no aeroporto. Eu confesso que não tentei, até tentei levar uns tapetinhos de xixi pro Milo e levei ele ao banheiro, mas ele não fez nada nas 17 horas (desde o momento que saimos de casa até nosso destino). Ele ficou numa boa, só precisa hidratar bem quando chegar, mas ele aguentou firme, não chorou, não precisou de sonífero nem nada. Durante o vôo, tenha um cobertor pra ele, pois a companhia aérea não vai dar e pode ficar frio. Na Continental, quando fui pro Brasil, ele foi o tempo todo dentro da caixa no meu colo. Quando fui Nova York – San Francisco, me pediram para colocá-lo embaixo do banco da frente somente durante pouso e decolagem. Ele estranha um pouco, mas nada demais. Tenho sempre uns 2 biscoitos duros e uma banana pra ele, e geralmente 1 hora antes do pouso, dou um pouquinho de água.

EUA->Brasil

1. 10 dias antes da viagem o cachorro precisa ser levado ao veterinário. Ele dará um atestado que diz que o animal está em condições de viajar e vai preencher o formulário 7001, além de um atestado da última vacina de rabbis, com lote e data de aplicação, que tem que ser no máximo com 1 ano de antecedência e mínimo 1 mês antes da viagem.

2. Pegue todos esses formulários + money order de $35 (money order: vá com $35 em dinheiro a qualquer banco e peça isso) e coloque em um envelope para o USDA office mais perto. O meu (eu estava em NY) era em Albany, mas dá uma olhada onde são os outros:

- site: http://www.aphis.usda.gov/
- import and export: http://www.aphis.usda.gov/import_export/index.shtml
- de animais: http://www.aphis.usda.gov/regulations/vs/iregs/animals/
- para o brasil: http://www.aphis.usda.gov/regulations/vs/iregs/animals/animal_brazil.shtml

Como diz no primeiro parágrafo, não precisa consularizar o documento. Pode ficar tranquila, que não precisa mesmo (antes precisava). No final dessa mesma página, tem um pdf de informações para exportação de cachorros e gatos.

Eu mando tudo por Fedex next day. Coloco todos os documentos num envelope do Fedex, pago um outro envelope e coloco dentro, assim o USDA envia os documentos de volta pra mim. Se não fizer isso, vai por USPS, sem tracking nem nada. Não recomendo!

Aí, é só viajar! Faça o check in com antecedência. Eu chego tipo 4 horas antes do vôo, pois as pessoas nunca sabem bem como são os procedimentos, chama gerente, uma confusão. Leve TODOS os papéis organizados. Eu levo impresso as recomendações do site do USDA para mostrar para os funcionários da companhia aérea.

A caixinha que eu tenho é da Sherpa, mas já vi diferentes caixas, e o tamanho permitido varia dependendo da companhia aérea. Eu uso uma que comprei em NY da marca Sherpa, que foi super bem recomendada, e o Milo gosta bastante dela! Quando vamos para o sítio, levamos a caixinha e ele dorme tranquilo ali. Uma outra dica: antes de viajarmos de avião, eu levava o Milo nessa sacola e andava de metrô com ele. Não sei se dá para fazer isso em São Paulo, mas eu fazia em NY, para ele se acostumar com barulhos, cheiros, pessoas estranhas… Acho que ajudou também. Você que tem bichano também sabe como a gente faz de tudo pelo bem deles, né?!

Boa sorte! Parece muito menos complicado do que tudo isso, viu.”

8 comentários

  1. Lana
    Comentário do dia 29/8/2011 às 00:04

    Paula, olá! Mandei mensagem para Pricila e ela me recomendou conversar contigo. É que estou indo para NY com meu gatinho, que irá na cabine comigo. Comprei uma bolsa (bem flexível por ser feita de jeans com o fundo impermeável) que passa 2cm na largura e 2 cm no comprimento, das medidas recomendadas pela TAM. A altura está OK.Vc acha que a TAM irá fazer problema, ou seria melhor comprar uma outra nas medidas exatas? Estou muito ansiosa e com medo que algo dê errado… se vc puder me dar alguma dica, lhe agradeceria muito. Abs.

    P.S.:Olha nesse link do blog aonde comprei a bolsa é (dá uma olhadinha na de jeans, é parecida com a minha): http://amigosdepelo.blogspot.com/search/label/Bolsa%20de%20transporte%20para%20dogs%20and%20cats

  2. Comentário do dia 26/1/2012 às 10:24

    Ótimas dicas com a tag “pets”, divulguei na minha página do blog lá no Facebook! Parabéns, posts super completinhos, vai ajudar muita gente! (apesar de que aqui no Brasil não temos tanto esta “tradição” de viajar com os bichinhos…)

  3. Priscila
    Comentário do dia 06/2/2012 às 21:28

    É verdade, Simone, ainda não temos essa abertura com os animais, poucos lugares aceitam eles, quem dirá viajar.

  4. ana
    Comentário do dia 21/5/2012 às 00:42

    Eu estou superrrrr preocupada com meus cachorros.Quero voltar pro Brasil em dezembro e vou levar meus dois pitbulls.Os dois sao sem educacao.O macho ama gente. e e super sociavel, a femea e meio desconfiada.Sei que eles vao ter q tomar remedio p dormir.As vacinas estao sempre em dia, A de raiva vale por 3 anos.Estou preocupada com o tempo da viagem e a escala do rio p vitoria.sera q nao vao perder meus caes.sera q vao cuidarbem deles?

  5. Priscila
    Comentário do dia 21/5/2012 às 01:54

    Ana, entendo toda a tua preocupação e sofri um monte quando os meus viajaram, de tão preocupada que estava. Infelizmente não tenho resposta pra sua pergunta. Só posso desejar boa sorte!

  6. Vlá
    Comentário do dia 20/1/2013 às 04:08

    Olá Paula, vi a foto do seu rapaz e fiquei na dúvida, consegue colocá-lo numa sherpa, nas medidas da TAM? Já vi vários sites que falam como comprar uma caixa de transporte a partir das medidas do cachorro, mas se for como dizem só vai caber nas medidas da TAM um pincher ou equivalente. Tenho um shih-tzu e ele aparenta ser mais ou menos do tamanho do seu (o seu é lhasa?), pesa 6,5kg. Dúvida: O seu consegue ficar em pé na bolsa, deitar normal e dar uma volta em torno de si mesmo?

  7. Gabriela Vayshelboym
    Comentário do dia 24/2/2013 às 17:07

    Estou com uma duvida, moro no EUA e vim visitar o Brasil, quando sair preparei todos os documentos necessarios, gostaria de saber se na volta para os EUA eu tenho que fazer toda a papelada novamente sendo que ja tenho o international health certificate dos EUA carimbado pela USDA.

  8. Priscila
    Comentário do dia 27/3/2013 às 16:06

    Gabriela, acho que se passar de 10 dias tem que fazer tudo de novo! Mas confirme essa informação.

Um Trackback

  1. [...] Viajando para os EUA, por Paula Tanaka Camara (e Milo) [...]

Comente você também

Seu e-mail ficará em sigilo. Campos obrigatórios estão marcados com *