Ir direto para o conteúdo

Viajando para Lake Tahoe – parte 1

Durante todo o período em que estive morando em San Francisco tive poucas oportunidades de viajar. Meu curso era de segunda a sexta, período integral, então só dava mesmo para fazer viagens bate-volta. O jeito foi matar aula – e deixei para fazer isso quando o Vinicius veio me visitar.

Decidir o destino foi fácil: Lake Tahoe, mais precisamente o complexo Heavenly. Era alta temporada de esqui e apesar de já termos conhecido estações na Suíça e nos Pirineus, nunca havíamos esquiado.

DIRIGINDO DE SAN FRANCISCO A LAKE TAHOE

Para ir a Lake Tahoe partindo de San Francisco foi tranquilo, são mais ou menos 4 horas de viagem – se não estiver nevando. Estávamos sem GPS então estudamos a rota antes de sair de casa e usamos o celular como tira-teima. A estrada é muito boa e bem sinalizada.

Na hora de alugar o carro todas as empresas nos aconselharam um 4X4. Tanto na ida quanto na volta havia fiscalização na estrada, os carros que não eram 4X4 eram obrigados a colocar correntes nos pneus. O custo pra isso era de 30 dólares. E naquele fim-de-semana nevou muito – segundo uma amiga foi o melhor fim-de-semana da temporada – então a estrada estava coberta de neve. Foi precisa dirigir muito devagar e ainda assim um carro derrapou na nossa frente.

No caminho paramos num Folsom Premium Outlet, que a princípio não estava planejado na nossa rota. Não sei dizer se é o melhor ou pior outlet pois esse foi o nosso primeiro, mas me parece que não difere muito dos outros. Todas as marcas queridinhas de brasileiros estavam lá: Calvin Klein, Gap, Banana Republic, Nike, etc. Pra mim valeu mesmo a pena uma loja de cozinha onde comprei uma Kitchen Aid Refurbished por 120 dólares a menos que o preço normal. De resto, depende de gosto mesmo. Se você gosta dessas marcas, talvez seja uma boa parar lá.

ONDE SE HOSPEDAR

Chegamos em Tahoe já era noite e ficamos hospedados no Embassy Suites Hotels, com a localização mais que perfeita. Aliás, tivemos a certeza definitiva de que a localização era perfeita no dia seguinte: andar com 300kg de equipamentos de esqui não é fácil. E o hotel fica ao lado da estação.

Os quartos são espaçosos e o lugar tem me lembrou muito meu tempo de colônia de férias. Famílias inteiras se divertindo, criança de pijama pelos corredores, amigos batendo papo. Eu diria que a palavra perfeita para descrever o hotel é informalidade. Fique à vontade.

O café da manhã é do tipo buffet, com omeletes, sausages, ovos, pancakes, bem americano. Tem sempre uma fila bem comprida, mas rápida. Se você quiser, pode se servir e levar a comida pro quarto – não é ótimo isso? E no final do dia, um happy hour é oferecido aos hóspedes: bebidas e alguns snacks, que não são lá grande coisa.

Nessa noite jantamos no Stateline Brewery, boa e farta comida e cerveja. E hora de descansar pra maratona do dia seguinte. Eu imaginava que esquiar seria bem difícil, mas a pior parte não era esquiar em si. Mas essa história fica pro próximo post.

O que fazer em San Francisco?

Esse semana, começo a tirar as teias de aranha do blog para falar de San Francico. Mas não, não falarei dos programas turísticos, mas sim das atividades que você pode fazer aqui e que não estão nos guias de viagem. São experiências de curta duração que você pode encaixar facilmente na sua viagem.

San Francisco é uma cidade pequena mas com milhares de coisas interessantes acontecendo. Obviamente, muitas das coisas que falarei aqui estão ligadas à gastronomia, pois é um tema que me interessa muito.

Minha primeira indicação é fazer uma aula na The Cheese School of San Francisco. A escola fica perto do Pier 39 e lá você pode escolhar entre harmonização de queijos e vinhos, queijos e cervejas, queijos e mel, sanduíches, pode fazer uma aula para aprender a fazer a queijo (demais, hein?) e pode fazer uma aula sobre queijos em geral, onde você poderá e será encorajado a fazer toda e qualquer pergunta, inclusive aquelas que você se sente muito burro em fazer, como por exemplo, porque o queijo suíço tem buracos.

As aulas têm em média duas horas de duração e custam aproximadamente 70 dólares. É muito importante reservar com antecedência, porque elas lotam rapidinho.

Ah, não se preocupe com o jantar depois da aula, você estará plenamente satisfeito!

 

Hamburguer gourmet em Porto Alegre

Gosto muito do nome!! Bife.

Na onda das hamburguerias gourmet que invadiram o país, a Bife se destaca em Porto Alegre com deliciosos e suculentos hambúrgueres.

O local abriu em dezembro de 2011, mas só passei por lá essa semana. A decoração tem uma pegada moderninha, com mesas de madeira e cadeiras coloridas que se destacam no ambiente.

Ok, mas vamos direto ao assunto, ou melhor, ao prato principal da casa. Todos os hambúrgueres são preparados e temperados na própria cozinha e o escolhido da noite foi o “Americano”, um hamburguer tradicional, mas muito bem acompanhado de batatas rústicas. Uma delícia!!!

Fica aí a dica para quem mora ou para quem está de passagem por Porto Alegre!


A hamburgueria fica na rua Miguel Tostes, 371 e funciona de segunda a sábado, das 18h ás 23h
Fone: (51) 3072.8033

 

Jardim Botânico de Porto Alegre

Essa semana os trips gaúchos se uniram para uma rodada de blogagem coletiva e começaram a postar dicas sobre a capital, mais precisamente, dicas de roteiros gratuitos. Nós, claro, também estamos participando, apesar de termos pouquíssimas fotos de Porto Alegre.

Quantas vezes já passeamos pelo Gasômetro, pela Redenção, pelo Parcão, pela Feira do Livro,  mas sempre sem uma máquina fotográfica. :( E como atualmente estamos morando em São Paulo, ficou difícil sair no fim-de-semana e criar material para a postagem… bom, chega de desculpas, vamos ao que interessa.

Por sorte, um dos passeios mais agradáveis de Porto Alegre nós documentamos: o Jardim Botânico de Porto Alegre. Ok, não é exatamente gratuito, pois custa R$ 2,00 a entrada. Mas 2 reais é quase de graça, né? O Jardim Botânico existe desde 1958 e é considerado um dos 5 maiores do país. Além de ser um grande parque onde é possível passear, tomar chimarrão, fazer picnic, frequentemente tem intervenções ao ar livre (a que registramos é um tanto macabra!) e também conta com o Museu de Ciências Naturais, incluído no preço da entrada ao JB.

É um pouco mais distante das áreas centrais e turísticas da cidade, mas vale a visita já que não é somente um parque – mas caso você queira desfrutá-lo dessa forma, apenas descansando e relaxando, será mais tranquilo do que na Redenção, que é muito mais badalada.


Jardim Botânico de Porto Alegre
Rua Dr. Salvador França, 1427 – Bairro  Jardim Botânico
Aberto à visitação de terça a domingo, das 8h às 17h.

Andarilhos Mundo

Destemperadinhos

Dicas de Viagem

Dicas e Roteiros de Viagens

Fundação Iberê Camargo

Mochila da Juli

Viagem e Viagens

Viajar Diferente

Sergionauta

.

ou siga a hashtag #BlogagemColetivaPoa

Onde comer em Foz do Iguaçu?

Já contamos bastante durante o BlogTur sobre os pontos turísticos de Foz do Iguaçu, como chegar e como eles são imperdíveis para todo turista que passa pela região. Mas andar prá lá e pra cá, conhecendo e fotografando os melhores momentos da viagem também dá uma fome! E nessa hora, onde comer?

Se você não se preocupou em pesquisar alguns locais para almoçar, jantar ou petiscar, aqui vão algumas opções:

Hotel Bella Italia: Se você ficou hospedado no hotel, não se preocupe, você não vai sentir fome tão cedo. O café da manhã é realmente bem servido, sem falar na famosa Noite Italiana do Restaurante Bella Tavola, que serve um ótimo rodízio de massas acompanhadas de antepastos, pães, queijos e vinhos especiais. O restaurante fica junto ao Hotel, na Av. Republica Argentina, 1700.

Restaurante Búfalo Branco: Na minha opinião, o melhor churrasco. Bem servido, tradicional e com localização central, esta churrascaria é uma ótima opção para quem fizer o citytour.

Rafain churrascaria show: Com uma proposta diferente, este restaurante oferece mais do que boa comida: um show de danças típicas do Brasil e outros países é a atração principal do local. É divertido e vale conhecer, mas acho que a programação é ótima para gringos.

Porto Canoas: Este é o restaurante do Parque Nacional do Iguaçu. Recomendo para quem vai conhecer o parque. O Buffet é variado e de boa qualidade, sem contar que você vai almoçar com uma vista maravilhosa (fotos acima).

Capitão Bar: Taí um bar que surpreendeu! Bem localizado no centro da cidade, esse bar é otimo para começar ou terminar a noite. Petiscos, sanduíches, pizzas e cerveja gelada é o que você vai encontrar. Na Avenida Jorge Schimmelpfeng, 288.

El Quincho del Tío Querido: Localizado em Puerto Iguazu, Argentina, este restaurante oferece a famosa e tradicional Parrilla. Música local, boa comida e ambiente agradável.

 

Veja mais sobre a viagem do BlogTur Foz no Inquietos.

Foz do Iguaçu: conectada e focada no desenvolvimento turistico

Itaipu Binacional: turismo dia e noite

Parque Nacional do Iguaçu: divirta-se nas cataratas por terra, água e ar

 

Participaram do BlogTur em Foz do Iguaçu

Os Blogueiros: Maurício Oliveira (Trilhas e Aventuras), Átila Ximenes (Vou Contigo), Carol Wieser (Travel Forever), Carol May (Dicas e Roteiros de Viagens), Ana Catarina (Turista Profissional), Jana Calaça (Jeguiando), Julie Fank (De Mochila), Clarissa Donda (Dondeando por aí), João Aguiar (Viajando no Mundo), Flávia Vieira (Viajar é Tudo de Bom), Vinícius Raupp (Inquietos), Deise de Oliveira (Viagem pelo Mundo), Pedro Serra (Sem Destino) e Thiago Busarello (Vida de Turista).

Os Parceiros: Trilhas e Aventuras (Realização), Agência Loumar Turismo e Hotel Bella Italia (Patrocínio) e Gol Linhas Aéreas Inteligentes(Transportadora Aérea).

Acompanhe as postagens pelo Twitter através da Hashtag #BlogTurFoz e curta a Fanpage do BlogTur no Facebook.

Página 1 de 3612345...102030...Último »